ESTUDANTES QUE PARTICIPARAM DE PESQUISA INTERNACIONAL RECEBEM CERTIFICADOS

Uma parceria com o Instituto Galzu de pesquisa, ensino, ciência e tecnologia aplicada, proporcionou a participação de estudantes da Faculdade de Medicina de Campos em duas pesquisas clínicas internacionais, primeiras de grande porte realizadas na região. Com o título, “Avaliação da segurança e eficácia clínica do AZVUDINE em pacientes infectados pelo vírus SARS-COV-2” são estudos de fase III, randomizados, duplo-cego e controlados por placebo. Na primeira, a prospecção foi feita pelos estudantes, em pacientes em estágio moderado e indicação de internação na Santa Casa de Misericórdia de Campos. Na segunda, foi feito um acompanhamento diário, ambulatorial/domiciliar dos participantes. Ambas envolveram prospecção ativa na rede de saúde da região do Norte Fluminense em cooperação com as Prefeituras Municipais de Campos dos Goytacazes, São Francisco do Itabapoana, Itaocara, Cambuci e São Fidelis.

Essas pesquisas, com patrocínio internacional, buscam avaliar a segurança e eficácia clínica do medicamento AZVUDINE em pacientes infectados pelo vírus SARS-CoV-2 sendo realizadas de abril a dezembro de 2021 e janeiro a maio 2022, sob orientação da médica Paula Cabral, Ph.D. e presidente do Instituto Galzu e pelo Prof. Dr. Shaytner Campos Duarte, Coordenador de Pesquisa da FMC.

Para o Prof. Dr. Shaytner Campos Duarte, Coordenador de Pesquisa da Faculdade de Medicina de Campos, a participação dos acadêmicos de medicina da FMC foi um avanço na formação prática e na capacidade de desenvolvimento de censo crítico em pesquisas. “Foi fundamental para que os estudantes pudessem vivenciar uma pesquisa prática onde o médico e outros profissionais de saúde lidam com pacientes e suas implicações reais. Acredito que cada um vivenciou uma experiência única e de grande importância em sua formação”, disse o coordenador.

Encerrado o acompanhamento dos participantes no estudo, os 19 estudantes que participaram do projeto recebem seus certificados. De acordo com o biólogo Savio Bastos, Ph.D. e gestor de qualidade do Instituto Galzu, os dados coletados seguem para análise estatística e, posteriormente, seguem para comunicação dos resultados em publicação científica.